29 de março de 2015

Paquicefalossauros (Pachycephalosauria)

Pachycephalosaurus
Arte por 
James McKinnon © Weldon Owen Publishing
Paquicefalossauros, os "lagartos com cabeça espessa", formam um grupo de dinossauros ornitísquios caracterizados, como seu nome diz, por terem ossos muito espessos no topo de seus crânios. Poucos ultrapassavam o tamanho de um ser humano, eram todos bípedes e herbívoros e geralmente alimentavam-se de vegetação baixa. A maioria viveu no fim do Cretáceo, onde hoje são Ásia e América do Norte.

8 de março de 2015

Ictiossauro - o lagarto peixe

© John Sibbick
O ictiossauro (do grego "lagarto peixe") é um réptil marinho do início do Jurássico da Europa (fósseis foram encontrados na Bélgia, Inglaterra, Alemanha e Suíça). Era menor que a maioria de seus parentes, com cerca de 2 m de comprimento e 90 kg, e viveu de 200 a 190 milhões de anos atrás.

1 de março de 2015

Oxalaia - o maior dinossauro carnívoro do Brasil

© Maurilio Oliveira
O Oxalaia (em referência à divindade africana Oxalá) é um dinossauro terópode que viveu há 95 milhões de anos, no fim do Cretáceo. É o maior terópode conhecido que andou em território brasileiro, com 12 a 14 m de comprimento e 5 a 7 toneladas. Antes de sua descoberta, esse título pertencia ao picnonemossauro, que media 9 m.

25 de fevereiro de 2015

Período Siluriano

Vida marinha do Siluriano
© Alena Hovorkova
O Siluriano ou Silúrico é o período da era Paleozoica compreendido entre 443 e 416 milhões de anos atrás. Terceiro período de sua era, sucede o período Ordoviciano e precede o Devoniano. Divide-se, cronologicamente, nas épocas Llandovery, Wenlock, Ludlow e Pridoli.
O primeiro a identificar esse período foi Sir Roderick Murchison, que examinava um estrado rochoso ao sul do País de Gales em 1830. O termo veio de uma antiga tribo céltica, os siluares, seguindo a convenção que seu amigo Adam Sedgwick havia usado para nomear o Cambriano.
Tabela do tempo geológico em escala
© Mundo Pré-Histórico
No início do Siluriano, a fauna teve que se recuperar da extinção em massa que dizimou 60% das espécies marinhas do Ordoviciano, adaptando-se às condições climáticas mais frias. Ao longo do período, o clima se tornou mais ameno e estável, o que provocou o descongelamento de grandes massas glaciais e, com isso, o aumento do nível dos mares. As terras que hoje são América do Norte, Europa, Ásia e Oceania ficaram encobertas durante algum tempo, antes de se soerguerem e as águas começarem a baixar novamente.
Visão global da Terra no Siluriano
© Dr. Ronald Blakey e Colorado Plateau Geosystems, INC.
(Modificado por Felipe Bampi)

8 de fevereiro de 2015

Tuojiangossauro - o primeiro estegossauro chinês

Em uma floresta asiática no fim do Jurássico, um tuojiangossauro é perseguido por dois yangchuanossauros
© Alexander Lovegrove
O tuojiangossauro ("lagarto do rio Tuo") é um dinossauro estegossaurídeo do sudeste da Ásia. Viveu no final do Jurássico, de 160 a 154 milhões de anos atrás. Um dos mais bem conhecidos estegossaurídeos do continente, media em torno de 7 m de comprimento e 3 m de altura, com uma massa de 3 toneladas. Comia samambaias e folhas macias da vegetação que crescia mais próximo ao chão.