19 de abril de 2015

Mojoceratops - o dinossauro com cabeça em forma de coração

© 2012 Tuomas Koivurinne
O Mojoceratops ("rosto com chifres talismã" ou "rosto com chifres sedutor", da gíria em inglês mojo) é um dinossauro ceratópsio do período Cretáceo. Viveu de 76 a 75 milhões de anos atrás, no oeste do Canadá. Alcançava de 5 a 6 m de comprimento e cerca de 4 toneladas.

6 de abril de 2015

Tapejara

Tapejaras buscam abrigo da chuva dentro de uma caverna
© Sergey Krasovskiy
O Tapejara (do tupi "ser antigo") é um pterossauro brasileiro que viveu no nordeste do país de 132 a 100 milhões de anos atrás, no início do Cretáceo. Pesava em torno de 35 kg, e sua envergadura alcançava 3,5 m.

29 de março de 2015

Paquicefalossauros (Pachycephalosauria)

1.Pachycephalosaurus; 2.Dracorex; 3.Stygimoloch; 4.Prenocephale; 5.Goyocephale; 6.Stegoceras; 7.Homalocephale.
Paquicefalossauros, os "lagartos com cabeça espessa", são um grupo de dinossauros ornitísquios caracterizados, como seu nome diz, por terem ossos muito espessos no topo de seus crânios. Poucos ultrapassavam o tamanho de um ser humano, eram todos bípedes e herbívoros e geralmente alimentavam-se de vegetação baixa (talvez insetos e outros pequenos animais também estivessem em sua dieta). Tinham dentes curvados semelhantes a presas na frente da boca e um bico córneo. A maioria dos paquicefalossauros viveu no fim do Cretáceo, onde hoje são Ásia e América do Norte.

8 de março de 2015

Ictiossauro - o lagarto peixe

© John Sibbick
O ictiossauro (do grego "lagarto peixe") é um réptil marinho do início do Jurássico da Europa (fósseis foram encontrados na Bélgia, Inglaterra, Alemanha e Suíça). Era menor que a maioria de seus parentes, com cerca de 2 m de comprimento e 90 kg, e viveu de 200 a 190 milhões de anos atrás.

1 de março de 2015

Oxalaia - o maior dinossauro carnívoro do Brasil

© Maurilio Oliveira
O Oxalaia (em referência à divindade africana Oxalá) é um dinossauro terópode que viveu há 95 milhões de anos, no fim do Cretáceo. É o maior terópode conhecido que andou em território brasileiro, com 12 a 14 m de comprimento e 5 a 7 toneladas. Antes de sua descoberta, esse título pertencia ao picnonemossauro, que media 9 m.