1 de fevereiro de 2009

Triceratope

(Atualizado em agosto de 2013)
© Mark Hallett

O triceratope (do grego, "rosto com três chifres") viveu durante o Cretáceo há cerca de 68 e 65 milhões de anos, no Canadá e no norte dos Estados Unidos. Tinha 9 m de comprimento, 3 m de altura, 6 toneladas e um crânio com mais de 2 m de comprimento. Com seu bico córneo, rasgava as plantas duras que comia.
As principais características do triceratope são o seu folho em volta do pescoço, dois chifres de cerca de um metro de comprimento sobre os olhos e um chifre pequeno sobre o nariz. A função dessas estruturas ainda é discutida: poderiam ser usados para intimidar predadores, para atrair fêmeas na época de reprodução ou nas brigas entre os machos. Os triceratopes viviam em enormes bandos e, quando ameaçados, os machos protegiam as fêmeas, os filhotes e os doentes do grupo.
Um dos dinossauros mais populares, o triceratope teve seu crânio descoberto em 1888, em Denver, no estado americano do Colorado. Descobertas recentes afirmam que o gênero Torosaurus seria a forma adulta do triceratope (leia mais sobre isso no artigo Torossauro - o dono do maior crânio que já existiu).

Classificação científica:
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Superordem: Dinosauria
Ordem: † Ornithischia
Subordem: † Cerapoda
Infraordem: † Ceratopsia
Família: † Ceratopsidae
Gênero: † Triceratops
Espécies: † Triceratops horridus † T. prorsus


© Mundo Pré-Histórico

© Mark Rehkopf
Foto: Salão da Vida Pré-Histórica do Museu Kirtland, Cleveland, Ohio, EUA

Fontes: Wikipédia e AVPH.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.