02 junho 2024

Nasutoceratope, o ceratópsio com chifres de touro

Crédito: Andrey Atuchin, 2015

     O nasutoceratope ("rosto com chifres de nariz grande", do latim nasutus, "nariz grande", e do grego latinizado ceratops, "rosto com chifres") é um dinossauro ceratópsio que viveu no sudoeste da América do Norte durante a idade Campaniana do Cretáceo Superior, entre 76 e 75,5 milhões de anos atrás. Seu crânio media aproximadamente 1,5 m, e o animal é estimado em 4,5 m de comprimento, até 2,1 m de altura nos ombros e 1,5 tonelada. Como um ceratopsídeo centrossauríneo, era um herbívoro quadrúpede de corpo volumoso, cabeça grande e cauda curta.

15 maio 2024

Prionossuco, o maior anfíbio de todos os tempos

Crédito: Rodolfo Nogueira

    
O prionossuco ("crocodilo serra") é um grande anfíbio temnospôndilo que viveu entre 299 e 272 milhões de anos atrás, durante a época Cisuraliana do período Permiano, no nordeste do Brasil. Além de ter sido o primeiro temnospôndilo formalmente descrito da América do Sul, é o maior anfíbio que já existiu. Baseando-se em espécies próximas e em comparações com o gavial moderno (Gavialis gangeticus), estima-se que podia exceder 5,5 m de comprimento.

28 abril 2024

Período Paleógeno

Fauna da época Eocena, incluindo o grande herbívoro Uintatherium (ao centro).
Crédito: Bob Hynes
© Smithsonian Institution

    O Paleógeno é o período geológico que sucede o período Cretáceo da era Mesozoica, inaugurando uma nova era, a Cenozoica, há 66 milhões de anos. Ele se estende por quarenta e três milhões de anos, até o início do período Neógeno, 23,03 milhões de anos atrás. Esse intervalo é dividido nas épocas Paleocena, Eocena e Oligocena. Seu nome significa "de origem antiga" e vem do grego palaiós, "antigo", + génos, "origem".

Tabela do tempo geológico em escala, com destaque para o Paleógeno, suas épocas e idades.
© Mundo Pré-Histórico

07 abril 2024

Torvossauro, um dos maiores terópodes do Jurássico

Crédito: Sergey Krasovskiy, 2014

    O torvossauro ("lagarto selvagem", do latim torvus, "selvagem", e do grego sauros, "lagarto") está entre os maiores dinossauros terópodes do período Jurássico, com estimativas de comprimento entre 9 e 11 m. Esse megalossaurídeo viveu entre aproximadamente 165 e 148 milhões de anos atrás, do final do Jurássico Médio (idade Caloviana) ao final do Jurássico Superior (idade Titoniana), na América do Norte, Europa e, possivelmente, África e América do Sul.

03 setembro 2023

Plesiadápis, o precursor dos primatas

Crédito: Marie-Christine Lemayeur e Bernard Alunni

     O plesiadápis é um mamífero primatomorfo que viveu entre 62 e 55 milhões de anos atrás, do final do Paleoceno ao início do Eoceno, nas florestas subtropicais da América do Norte e Europa. Media cerca de 60 cm de comprimento e pesava em torno de 2,1 kg. Seu nome significa "próximo a Adapis", referindo-se a um primata primitivo que surgiu alguns milhões de anos mais tarde, no entanto sua classificação exata ainda gera dúvidas. Embora já tenha sido considerado um primata primitivo, os estudos mais recentes indicam que o plesiadápis faz parte de um grupo irmão aos primatas ou aos primatas e dermópteros (colugos).

18 março 2023

Celidossauro, um dos primeiros dinossauros com armadura

© Mohamad Haghani

    O celidossauro ("lagarto do membro posterior") é um dinossauro ornitísquio do Jurássico Inferior das Ilhas Britânicas. Viveu entre 196,5 e 183 milhões de anos atrás, entre as idades Sinemuriana e Pliensbaquiana, tempo em que a Europa fazia parte do supercontinente Laurásia. Um dos tireóforos (dinossauros blindados) mais antigos que se conhecem, era um animal herbívoro de aproximadamente 4 m de comprimento e 270 kg - um tamanho médio para a época em que viveu.

31 dezembro 2022

Ikrandraco, o dragão de "Avatar"

© Zhao Chuang, 2014

     Ikrandraco é um gênero de pterossauro pterodactiloideo que viveu há 120 milhões de anos, durante a idade Aptiana do Cretáceo Inferior, na Ásia e na Europa. Seu nome significa "dragão ikran", uma homenagem à espécie fictícia de criatura voadora do filme Avatar, devido à sua notável crista na extremidade da mandíbula. Ele media cerca de 70 cm de comprimento e 1,5 m de envergadura.

17 dezembro 2022

Dinossauros (Dinosauria)

Montagem demonstrando a diversidade de formas e tamanhos entre os dinossauros. Da esquerda para a direita, os gêneros Tyrannosaurus, Passerella (pardal-raposa) (primeiro detalhe), Velociraptor, Plateosaurus, Compsognathus, Confuciusornis (segundo detalhe), Muttaburrasaurus, Scelidosaurus, Stegosaurus, Futalognkosaurus, Eoraptor, Apatosaurus, Corvus (corvo) (terceiro detalhe), Oviraptor, Dilophosaurus, Archaeopteryx, Heterodontosaurus e Triceratops.
© Julius T. Csotonyi, 2014

    Dinossauros são um grupo de répteis arcossauros que pertencem ao clado Dinosauria. Eles surgiram no período Triássico, entre 243 e 233,23 milhões de anos atrás, e tornaram-se os vertebrados terrestres dominantes após a extinção do Triássico-Jurássico, há 201,3 milhões de anos. Seu domínio continuou através dos períodos Jurássico e Cretáceo, até serem dramaticamente afetados pela extinção K-Pg, há 66 milhões de anos. Apenas as aves, que atualmente são consideradas um grupo de dinossauros, sobreviveram ao episódio e persistem até os dias de hoje.
    Os dinossauros são um grupo diversificado nas perspectivas taxonômica, morfológica e ecológica. Considerando apenas as aves atuais, elas já são a classe de tetrápodes com o maior número de espécies vivas - mas falaremos melhor sobre elas em outro momento. Desde a era Mesozoica, os dinossauros estão presentes em todos os continentes (incluindo a Antártida), na forma de espécies herbívoras, carnívoras ou onívoras, bípedes ou quadrúpedes, gigantes ou pequenas.

29 outubro 2022

Hallucigenia, uma criatura alucinante

Hallucigenia sparsa
Crédito: Qbliviens, 2019

    
Hallucigenia é um gênero de animal extinto semelhante a um verme, com aparência que parece ser produto de uma alucinação - o que explica seu nome, oriundo do latim hallucinatio. Viveu em meados do período Cambriano, há cerca de 500 milhões de anos, no fundo dos mares ao redor do mundo, e media de 5 a 55 mm de comprimento. Sua descoberta causou um longo debate científico a respeito de sua reconstrução e de suas relações evolutivas com outras linhagens de seres vivos. Hoje, porém, é reconhecido como um lobopódio, um grupo informal de panartrópodes do Paleozoico que deu origem aos onicóforos (vermes-aveludados), tardígrados (ursos-d'água) e artrópodes (insetos, crustáceos, aracnídeos, entre outros).

10 setembro 2022

Andrewsarchus, uma grande besta misteriosa

© Roman Uchytel

     O Andrewsarchus ("soberano de Andrews", do grego archós, "líder, comandante") é um mamífero artiodáctilo extinto que viveu em meados da época Eocena, de 43 a 41 milhões de anos atrás, no Leste Asiático, mais especificamente onde hoje é a Mongólia Interior, na China. Estima-se que media 3,2 m de comprimento, 1,4 m de altura e pesava em torno de 800 kg. Conhecido somente por meio de um crânio de grandes proporções, com um focinho alongado e dentes afiados, o Andrewsarchus sempre causou muitas dúvidas a respeito de sua natureza.