25 de setembro de 2016

Antarctopelta - o primeiro dinossauro da Antártica

© 2008 Tuomas Koivurinne e Sergio Pérez

Antarctopelta ("escudo da Antártica", em grego), como seu nome sugere, viveu na Antártica, no final do período Cretáceo, entre 74 e 70 milhões de anos atrás. É um anquilossauro de médio porte, alcançando não mais do que 4 m de comprimento.

15 de setembro de 2016

Inkayacu - pinguins nem sempre foram só preto e branco

© Julio Lacerda

Inkayacu ("rei da água", em língua quíchua) é um gênero extinto de pinguim que viveu no Peru no final do Eoceno, há 36 milhões de anos. Este gigante media cerca de 1,5 m de altura e pesava até 59 kg, apesar de não ter sido o maior de todos os pinguins. Porém, o que torna sua descoberta ainda mais surpreendente são as penas fossilizadas, que ajudaram os cientistas a compreender melhor a evolução dessas aves.

4 de setembro de 2016

Guaibassauro

Guaibassauros (a reconstrução da cabeça é hipotética, já que nenhum crânio foi encontrado).
© 2008 Nobu Tamura

O guaibassauro ("lagarto de Guaíba") é um dinossauro primitivo que viveu no sul do Brasil no final do período Triássico, entre 216 e 212 milhões de anos atrás. Media 1,8 m de comprimento.

25 de julho de 2016

Período Carbonífero


O Carbonífero é o período do tempo geológico compreendido entre cerca de 359 e 299 milhões de anos atrás. Dentro da era Paleozoica, sucede o período Devoniano e precede o Permiano. É subdividido em duas épocas: Mississippiano e Pensilvaniano, de acordo com os estratos rochosos encontrados na América do Norte.

Tabela do tempo geológico em escala
© Mundo Pré-Histórico

No início do Carbonífero, um aumento no nível dos oceanos alagou muitas terras baixas, criando mares litorâneos rasos. Porém, esse efeito se reverteu em meados do período, há cerca de 323 milhões de anos. A mudança no nível do mar causou considerável extinção da fauna marinha, principalmente entre crinoides (lírios-do-mar) e amonites. Gondwana, o supercontinente do hemisfério Sul, passou a sofrer uma forte glaciação, coberto por uma espessa camada de gelo, enquanto as regiões equatoriais mantinham-se com um clima quente e úmido o suficiente para o desenvolvimento de pântanos e florestas exuberantes. Ao longo do período, as massas de terra de todo o planeta se uniram para formar Pangeia, o continente único que resistiu até a era seguinte. Montanhas erguiam-se conforme os continentes colidiam.

Visão global da Terra no Carbonífero
© Dr. Ronald Blakey e Colorado Plateau Geosystems, Inc.

(Com modificações)

14 de julho de 2016

Megaloceros - o cervo gigante

Arte por Charles R. Knight
© Museu de Arte da Universidade de Princeton

Megaloceros (do grego "grande chifre") é um gênero extinto de cervo que viveu em toda a Eurásia, no Pleistoceno e início do Holoceno. Seu tamanho variava muito de acordo com a espécie, as menores medindo cerca de 1 m de altura nos ombros. No entanto, a maior delas, Megaloceros giganteus, popularmente chamada "alce-irlandês" ou "cervo-gigante", chegava a 2 m na cernelha e 600 kg. Seus chifres, que alcançavam até 3,5 m de ponta a ponta, pesavam cerca de 40 kg.