18 de julho de 2018

Eryops, o anfíbio predador

Crédito: Vladislav Egorov, 2016

O Eryops ("face prolongada", do grego eryein, "prolongado", e ops, "face") é um anfíbio temnospôndilo que viveu do final do Carbonífero ao início do Permiano, entre 300 e 295 milhões de anos atrás, na América do Norte. Vivia em planícies, próximo a lagoas, córregos e rios, e tinha, em média, 90 kg e 2 m de comprimento, fazendo dele um dos maiores animais terrestres de seu tempo.

7 de julho de 2018

Sinápsidas (Synapsida)

Dois Dinogorgon disputam a carcaça de um dicinodonte.
© 2011 Julius T. Csotonyi

Os sinápsidas (Synapsida, do grego "arco junto") são um grupo de animais que inclui os mamíferos, seus ancestrais e todo animal mais próximo dos mamíferos do que de outros amniotas (os vertebrados cujo embrião é envolvido por uma membrana amniótica). Eles evoluíram de amniotas basais, no final do período Carbonífero, e têm como grupo irmão os saurópsidas (Sauropsida), que incluem os répteis modernos, dinossauros e aves.

Anatomia craniana de sinápsidas primitivos. A fenestra temporal surgiu no sinápsida ancestral cerca de 312 milhões de anos atrás, no Carbonífero.
(Edição por Mundo Pré-Histórico)

Os sinápsidas são facilmente distinguíveis de outros amniotas pela existência de uma fenestra temporal, abertura na lateral do crânio, logo atrás da cavidade ocular. Essas aberturas, que dão nome ao grupo, forneceram novos pontos de fixação para músculos da mandíbula, gerando uma mordida mais poderosa. Eles desenvolveram também dentes diferenciados de acordo com a função, os ossos do ouvido médio (região interna do sistema auditivo) típicos dos mamíferos e um palato secundário, estrutura que separa a boca da cavidade nasal (o céu da boca).
Ainda não se sabe exatamente quando algumas características típicas dos mamíferos surgiram, como os pelos e as glândulas mamárias, já que os fósseis muito raramente fornecem evidências diretas de tecidos moles, mas foram sinápsidas anteriores aos mamíferos as primeiras criaturas peludas e que criaram o hábito de amamentar seus filhotes.

A fenestra temporal foi drasticamente modificada nos mamíferos. Nos humanos, ela corresponde à fossa temporal, depressão rasa na lateral do crânio onde são ancorados os músculos temporais, que passam por baixo do arco zigomático e movimentam a mandíbula.
(Edição por Mundo Pré-Histórico)

27 de junho de 2018

Notossauro, um réptil semiaquático

Notossauro persegue dois Placodus
© John Bindon

O notossauro ("lagarto falso", do grego nothos, "falso", e sauros, "lagarto") é um gênero extinto de réptil sauropterígio do período Triássico. Viveu aproximadamente entre 240 e 210 milhões de anos atrás, desde a Europa e o norte da África até a China. Tinha, em média, 4 m de comprimento e 90 kg, embora as maiores espécies (Nothosaurus zhangi e N. giganteus) atingiam 5 a 7 m.

16 de junho de 2018

Pinacossauro, o anquilossauro mais bem preservado

© 1995 Berislav Kržić

O pinacossauro ("lagarto prancha", do grego pinax + saurus) é um anquilossaurídeo de porte médio que viveu na Mongólia e na China entre 80 e 75 milhões de anos atrás, no final do Cretáceo. Tinha cerca de 5 m de comprimento e pesava até 1 t. Este é o anquilossauro com o maior número de exemplares fósseis do mundo, o que nos permite conhecer bem a estrutura e o desenvolvimento de seu esqueleto.

9 de junho de 2018

Saltassauro, o saurópode com armadura

© Masato Hattori

O saltassauro ("lagarto de Salta") é um saurópode titanossauro do final do Cretáceo, que viveu na Argentina há 70 milhões de anos. É estimado em 12 m de comprimento e 7 toneladas. Foi o primeiro saurópode com placas ósseas na pele descoberto, embora esse tipo de armadura tenha sido mais tarde encontrado também em outros titanossauros.

27 de maio de 2018

Era Mesozoica

O Mesozoico é conhecido como a "era dos dinossauros".
© Mohamad Haghani

A era Mesozoica (do grego meso + zōon, "vida intermediária") é um intervalo do tempo geológico localizado entre 252 e 66 milhões de anos atrás. É uma das três eras do éon Fanerozoico, precedida pela Paleozoica e sucedida pela Cenozoica. Divide-se em três períodos: Triássico, Jurássico e Cretáceo, do mais antigo para o mais recente.

Tabela do tempo geológico em escala, com destaque para o Mesozoico.
© Mundo Pré-Histórico

21 de maio de 2018

Rhyniognatha, o inseto mais antigo

O fóssil singular permaneceu intocado no Museu de História Natural de Londres por mais de 70 anos.
Crédito: Museu de História Natural de Londres / Alamy Stock Photo

Rhyniognatha ("mandíbulas de Rhynie") é considerado o mais antigo inseto conhecido do mundo. Viveu no norte da Europa e surgiu bastante cedo no Devoniano, entre 407 e 396 milhões de anos atrás, quando os primeiros ecossistemas terrestres do planeta estavam sendo formados. Lembra superficialmente uma traça-dos-livros atual e media, possivelmente, 5 mm de comprimento.