7 de junho de 2016

Ornitópodes (Ornithopoda)

Parasaurolophus, Lambeosaurus e Corythosaurus
© John Sibbick

Ornitópodes (subordem Ornithopoda) são um grupo de dinossauros ornitísquios que começaram como pequenos corredores bípedes e culminaram como um dos grupos de herbívoros mais bem sucedidos do Cretáceo, espalhando-se por todos os continentes. Não possuíam dentes na extremidade da maxila superior, mas um bico córneo, e contavam com uma cauda rígida que ajudava a balancear o corpo enquanto corriam. Muitos possuíam cristas elaboradas e formosas.

O pequeno Hypsilophodon não passava de 2 m
© Oscar Sanisidro
Dryosaurus, do final do Jurássico
(Autor desconhecido)

Ornithopoda, em grego, significa "pé de ave", por causa dos característicos pés com três dedos de seus integrantes (apesar de muitas formas primitivas reterem quatro). Os primeiros ornitópodes eram relativamente pequenos e de estrutura delicada. Provavelmente contavam com sua agilidade e velocidade para escapar de predadores.
Com a evolução, porém, começaram a se tornar maiores, mais pesados e menos ágeis. Muitas espécies atingiram mais de 10 m de comprimento. Adaptaram-se a caminhar e pastar sobre as quatro patas, mas podiam erguer-se em duas para correr ou alcançar plantas mais altas.

Iguanodon foi um grande ornitópode do início do Cretáceo
© Julius Csotonyi

No final do Cretáceo, antes de se extinguirem-se junto com os outros dinossauros, os ornitópodes atingiram seu apogeu com o surgimento do grupo dos hadrossauros, ou "dinossauros-bico-de-pato".


Cristas e bicos de pato


© Cisiopurple

Os hadrossaurídeos ou hadrossauros (família Hadrosauridae) são ornitópodes conhecidos por terem o crânio parecido com o de um pato. Em alguns gêneros, a parte da frente do crânio era achatada e alargada, formando um bico desdentado ideal para arrancar folhas e galhos. No entanto, o fundo da boca continha centenas de dentes, arranjados de forma compacta, adequados para moer vegetação dura. Fileiras múltiplas de dentes continuamente substituíam os que eram gastos.
Os hadrossauros moviam sua mandíbula lateralmente, triturando o alimento de maneira diferente de qualquer animal atual. O desenvolvimento desse mecanismo de mastigação eficiente foi a maior vantagem evolutiva dos ornitópodes mais tardios.
A maior parte dos vestígios de hadrossauros foi encontrada na América do Norte e no leste da Ásia, mas também há espécies na Europa, na América do Sul e na Antártida. Eles estavam entre os maiores dinossauros, mas eram presas de tiranossauros e outros terópodes. Tinham olhos grandes, audição aguçada e um bom olfato. Trilhas de pegadas fossilizadas, ossos e ninhos indicam que esses animais viviam em bando e formavam colônias de reprodução.

Crânio de Hypacrosaurus com seu bico expandido.
Foto: Museu das Rochosas, Montana, EUA, 2013 
Os ornitópodes, como o Maiasaura da imagem, viviam em enormes grupos e cuidavam muito bem de seus filhotes.
© Phil Wilson

A família Hadrosauridae possui duas grandes divisões, diferenciadas pela ornamentação do crânio. Enquanto os Saurolophinae possuem cristas sólidas, ou mesmo não as possuem, os lambeossauros (subfamília Lambeosaurinae) têm cristas ocas, com uma complexa série de tubos em seu interior. Nestes, as cristas conectam-se ao nariz e à garganta e, em vida, eram utilizadas como aparatos ressonantes, produzindo diversos sons. Elas assumem formas muito variadas de acordo com a espécie e, muito provavelmente, serviam para chamar a atenção de seus parceiros. Em outras palavras, um sistema audiovisual completo.

O hadrossauro de crista sólida Saurolophus.
© 2012 L. Xing e Y. Liu
Os hadrossauros Lambeosaurus, Edmontosaurus, SaurolophusCorythosaurusParasaurolophus e Kritosaurus.
© Hawkwood

Fontes: Enciclopédia dos dinossauros e da vida pré-históricaBBC NatureWikipedia (versão em inglês).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.