25 de setembro de 2016

Antarctopelta, o primeiro dinossauro da Antártica

© 2008 Tuomas Koivurinne e Sergio Pérez

Antarctopelta ("escudo da Antártica", em grego), como seu nome sugere, viveu na Antártica, no final do período Cretáceo, entre 74 e 70 milhões de anos atrás. É um anquilossauro de médio porte, alcançando não mais do que 4 m de comprimento.
Possuía dentes grandes em forma de folha, que eram usados para mastigar vegetação. Como outros anquilossauros, era um herbívoro atarracado, protegido por uma armadura óssea presa à pele. Vários tipos de placas e nódulos ósseos cobriam as costas e os lados, incluindo longos espinhos sobre os ombros. As vértebras na extremidade da cauda eram enrijecidas por tendões ossificados, o que sugere a presença de uma clava, no entanto, não há vestígios dela preservados.
No Cretáceo, a Antártica já se encontrava na região do polo Sul, mas a Terra tinha temperaturas globais muito mais altas e o continente não era coberto de gelo - mesmo assim, os animais enfrentavam um longo período de frio e escuridão no inverno. O Antarctopelta vivia em florestas de coníferas e árvores decíduas, compartilhando seu habitat com o ornitópode Trinisaura.
O único indivíduo fóssil de Antarctopelta foi descoberto por dois geólogos argentinos em 1986, fazendo dele o primeiro dinossauro a ser descoberto no continente gelado, embora as escavações tenham sido prolongadas por quase uma década devido às condições climáticas severas. Sua nomeação ocorreu apenas em 2006, quando outro dinossauro antártico, o criolofossauro, já era também conhecido.

Classificação científica:
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Superordem: Dinosauria
Ordem: † Ornithischia
Subordem: † Ankylosauria
Família: † Nodosauridae
Gênero: † Antarctopelta
Espécie: † Antarctopelta oliveroi


© Mundo Pré-Histórico
© Green-Mamba
Não se sabe se o Antarctopelta tinha ou não uma clava óssea na ponta da cauda.
© Alain Bénéteau

Fontes: Wikipedia (versão em inglês), Prehistoric Wildlife e About.com.

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe, apaguei seu comentário por engano. Você havia perguntado se o arqueópterix é uma ave ou um réptil, certo?

      Bem, essa espécie tem sido constantemente objeto de debate entre os cientistas quanto a sua classificação. Na verdade, o registro fóssil mostra que não há uma divisão clara entre os dinossauros e as aves, sendo estas últimas descendentes dos primeiros.
      O arqueópterix é um fóssil transicional, com características tanto de ave quanto de réptil. Atualmente é classificado no clado Avialae, dentro da subordem Theropoda (o grupo dos dinossauros carnívoros) - enquanto a classe Aves compreende apenas as aves modernas. Sendo assim, podemos dizer que o arqueópterix é um dinossauro e um parente próximo dos ancestrais das aves, mas não uma ave verdadeira.
      Este é o meu entendimento, não sou especialista no assunto, mas espero ter ajudado. Valeu!

      Excluir
  2. Anônimo29/10/16

    Amo este blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado! Fico feliz com isso.

      Excluir

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.