13 de outubro de 2010

Wuerhossauro, o último estegossauro

(Atualizado em julho de 2014)
Um par de Archaeoceratops são perturbados pela presença dos pterossauros Noripterus e de um Wuerhosaurus
© 2011 
Tuomas Koivurinne

O wuerhossauro (do grego, "lagarto de Wuerho") é um dinossauro que viveu nas florestas asiáticas entre 120 e 110 milhões de anos atrás, no Cretáceo. Media até 7 m de comprimento, 1,8 m de altura nos quadris, e pesava de 3 a 4 toneladas. É estreitamente relacionado ao Stegosaurus.
Ostentava nas costas as placas ósseas características dos estegossauros, porém estas eram mais finas, largas e baixas, com formato próximo ao semicircular. Também tinha um pescoço mais curto e um corpo mais rebaixado, o que indica adaptação a uma dieta de plantas rasteiras e de pequeno porte. Contudo, o que mais chama a atenção sobre o wuerhossauro é o período em que viveu: enquanto a maioria dos estegossauros se extinguiu no final do Jurássico, ele prosperou até meados do Cretáceo, sendo um dos últimos gêneros conhecidos do grupo.
O animal foi descrito por Dong Zhiming em 1973. A espécie-tipo, Wuerhosaurus homheni, foi nomeada a partir de um esqueleto parcial descoberto na região autônoma de Xinjiang, noroeste da China, próximo ao distrito de Wuerho. Em 1993, Zhiming formalizou uma segunda espécie, a Wuerhosaurus ordosensis, encontrada na Mongólia. Ainda não se conhece, porém, seu crânio.

Classificação científica:
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Superordem: Dinosauria
Ordem: † Ornithischia
Clado: † Thyreophora
Subordem: † Stegosauria
Família: † Stegosauridae
Gênero: † Wuerhosaurus
Espécies: † Wuerhosaurus homheni e † W. ordosensis


© Mundo Pré-Histórico

Os quatro espinhos da ponta da cauda, assim como no Stegosaurus, podem ter sido usados como defesa
(Autor desconhecido)
© Brian Franczak

Fontes: About.com, HowStuffWorks e Wikipedia (versão em inglês).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.