3 de fevereiro de 2017

Cooksonia, a primeira planta vascular

© 2014 Nobu Tamura

Cooksonia é um gênero extinto de planta terrestre primitiva. Surgiu em meados do Siluriano e continuou como um importante componente da flora até o início do Devoniano, entre 433 e 393 milhões de anos atrás. Desenvolvia-se às margens de lagos por todo o mundo. Esta é a planta mais antiga a possuir um caule com tecidos vasculares e, portanto, uma forma transicional entre as briófitas e as plantas vasculares.
Crescia de 5 a 10 centímetros e tinha uma estrutura muito simples, sem folhas, flores ou raízes. Seu caule esguio bifurcava-se em vários pontos ao longo de sua extensão e, possivelmente, fixava-se ao solo através de um rizoma (caule subterrâneo de crescimento horizontal). Cada ramo terminava em um esporângio, estrutura em forma de cápsula que produz esporos. Alguns fósseis revelam que no centro do caule havia um cilindro vascular constituído por traqueídes, células ocas condutoras de água. Os vasos condutores aprimoraram o transporte de nutrientes, água e sais minerais ao longo do corpo da planta, o que, em plantas não vasculares, deve ser feito de célula a célula. Esta foi uma das características que permitiram às plantas, mais tarde, atingirem tamanhos maiores.
A primeira espécie de Cooksonia foi descrita por William Henry Lang em 1937, em homenagem a Isabel Cookson, quem originalmente coletara alguns espécimes. Embora sejam distribuídos globalmente, a maioria dos fósseis de Cooksonia vem da Inglaterra. Registros já foram feitos em diversos lugares: País de Gales, Escócia, Inglaterra, Boêmia, Cazaquistão, Sibéria, estado de Nova York, Canadá, China, Bolívia e, inclusive, Brasil.

Classificação científica:
Reino: Plantae
Divisão: Tracheophytes
Gênero: † Cooksonia
Espécies: † Cooksonia pertoni, † C. paranensis, † C. acuminata, † C. bohemica, † C. cambrensis, † C. downtonensis e † C. rusanovii


© Mundo Pré-Histórico
Cooksonia paranensis do Devoniano Inferior da bacia do Paraná, Brasil, interpretado como esporófitos (a geração diploide, "adulta", da planta) brotando de um gametófito (a fase haploide).
Foto: Dr. Philippe Gerrienne, Universidade de Lieja, Bélgica.
(Autor desconhecido)

2 comentários:

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.