9 de março de 2017

Lacusovagus, o achado perdido

© Mark Witton

O Lacusovagus (que em latim significa "andarilho do lago") é um gênero de pterossauro que viveu no Brasil no início do Cretáceo, entre 120 e 115 milhões de anos atrás. Um dos maiores répteis voadores brasileiros, atingia, segundo estimativas, cerca de 1,8 m de altura, 20 kg e 4,1 m de envergadura.
Possuía um crânio longo e incomumente amplo, com maxilas sem dentes. Provavelmente alimentava-se de peixes e outros animais aquáticos que habitavam a região, na época um imenso lago de água salgada. O Lacusovagus compartilha muitas características com os pterossauros da família Chaoyangopteridae, que alcançavam tamanhos gigantescos e foram descobertos principalmente na China.
A espécie é conhecida somente por uma porção do bico com 70 cm, que fora contrabandeada para fora do Brasil. Isso desagradou os cientistas brasileiros, pois contraria seriamente as leis do País, que não permitem a comercialização de fósseis brasileiros, como forma de preservar o patrimônio científico nacional. O material, que foi vendido em 2004 ao Museu Estatal de História Natural Karlsruhe, na Alemanha, passou por uma análise estratigráfica e teve sua origem identificada como a Formação Crato, na Bacia do Araripe, Ceará. Quem estudou o espécime e o descreveu foi o paleontólogo inglês Mark Witton, que publicou artigo sobre a espécie em 2008.

Classificação científica:
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Ordem: † Pterosauria
Subordem: † Pterodactyloidea
Família: † Chaoyangopteridae
Gênero: † Lacusovagus
Espécie: † Lacusovagus magnificens


© Mundo Pré-Histórico
O fóssil, levado ilegalmente à Alemanha, ainda permanece no museu estrangeiro. 
Reconstrução do crânio do Lacusovagus.

Fontes: Folha de S.PauloWikipedia (versão em inglês), Dinossauros e Afins e Época.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.