8 de dezembro de 2013

Darwinius - nosso mais antigo ancestral?

© Esther van Hulsen

Darwinius é um primata que viveu há 47 milhões de anos, época Eocena, na Alemanha. Media cerca de 60 cm de comprimento (sendo 35 cm somente a cauda), pesava 2 kg e se alimentava de frutas, folhas e sementes.
Assemelhado a um lêmure, o Darwinius pode ser um elo perdido na evolução dos primatas superiores - macacos, gorilas e seres humanos. Tem até traços que guardam grande semelhança com o homem e outros primatas, como seus dentes, unhas em vez de garras, olhos dirigidos para frente e polegares opositores. Assim, com mãos capazes de agarrar, o Darwinius poderia facilmente escalar árvores para coletar frutos pela floresta. Grandes cavidades oculares indicam hábitos noturnos; a cauda não era preênsil, mas provavelmente servia para equilibrar e direcionar os saltos. Também tinha braços flexíveis e membros curtos.
A descoberta da espécie, divulgada em 2009, foi feita com grande entusiasmo por grande parte da comunidade científica, entretanto para muitos não parece ser um ancestral direto nosso. A preocupação acerca das alegações feitas é o fóssil ter sido anunciado antes de um estudo mais aprofundado, e que o Darwinius seria, na verdade, mais próximo dos lêmures.
O único fóssil conhecido, apelidado de "Ida", foi apresentado ao Museu Americano de História Natural em 2007, mas já havia sido descoberto em 1983, nas proximidades de Frankfurt, e pertencia a uma coleção particular. Ele está em tão bom estado de conservação que é possível ver a pele e traços de sua última refeição. "Darwinius" é em comemoração ao bicentenário de Charles Darwin.

Classificação científica:
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Primatas
Subordem: Strepsirrhini
Infraordem: † Adapiformes
Família: † Notharctidae
Subfamília: † Cercamoniinae
Gênero: † Darwinius
Espécie: † Darwinius masillae


© Mundo Pré-Histórico
Ida, uma fêmea de 58 cm, ainda preserva traços de pele e conteúdo estomacal
© Atlantic Productions Ltd.
© Nobu Tamura

Fontes: WikipédiaAbout.com e Natural History Museum.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.