6 de maio de 2013

Por que muitos dos animais pré-históricos eram tão grandes?


Você já se perguntou por que muitos dos animais fósseis eram tão grandes, mesmo os que se parecem com animais de hoje? Realmente, nunca houve seres tão grandes como na Pré-História, e há mais de uma teoria para explicar o porquê disso.

Giganotossauro
© 1997 Greg Paul

Uma diz que a grande quantidade de comida e o baixo gasto de energia fizeram os dinossauros crescer muito. Outra afirma que alguns desses bichos eram enormes porque tinham espaço para se desenvolver e se deslocar. Na era Mesozoica, havia apenas uma massa de terra, a Pangeia, e os dinossauros podiam andar longas distâncias em busca de plantas. Os maiores faziam parte do grupo dos saurópodes, como o sauroposeidon, que podia chegar a 25 m de altura.

Os gigantes argentinossauro, sauroposeidon e sismossauro, respectivamente, em relação a um humano
© John Sibbick (colorida por Mundo Pré-Histórico)

De acordo com pesquisadores da Universidade de Bonn, na Alemanha, para os saurópodes foi crucial o hábito de engolir o alimento sem mastigar. A mastigação tomava muito tempo desses gigantes, que precisavam ingerir uma quantidade de vegetação imensa e passavam quase o dia inteiro comendo. Assim, eles poderiam engolir mais alimento em menos tempo. E, para ajudar a digerir a comida, engoliam pedras - os chamados gastrólitos.

© John Sibbick

Entretanto, ao contrário do que possa parecer, os bebês saurópodes não nasciam grandes. Saíam de ovos menores que uma bola de futebol e cresciam a uma velocidade impressionante: até 5,4 kg por dia. Esse rápido crescimento pode ser explicado pela necessidade de se proteger dos predadores, pois, quanto maior, menos chances de ser atacado. Além disso, há evidências de que os saurópodes migravam, então os filhotes precisavam se desenvolver rápido se quisessem acompanhar os adultos e sobreviver.

Ovo de saurópode

Antes dos dinossauros, porém, ainda no período Carbonífero da era Paleozoica, surgiram formas de vida familiares para nós, só que gigantes: espécies parecidas com libélulas, escorpiões, centopeias. A causa desse gigantismo, explicam os cientistas, é que na época a atmosfera terrestre tinha uma porcentagem maior de oxigênio, em torno de 35%, enquanto hoje ela é de 21%.


Depois dos dinossauros ainda surgiram os mamíferos gigantes (a megafauna), que teriam crescido tanto porque havia abundância de espaço e alimentos, mas que teriam se extinguido entre o Pleistoceno e o Holoceno por causa de mudanças climáticas e da atividade predatória humana.

Grandes mamíferos vagavam pelo planeta há cerca de 1 milhão de anos.
© Mauricio Antón

6 comentários:

  1. Muito interessante, ótimo artigo.

    ResponderExcluir
  2. voçe pode colocar poque os dinossauros foram extintos e os mamiferos nao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse seria um assunto muito interessante! Aguarde as próximas postagens!

      Excluir
    2. OS DINOS NÃO FORAM EXTINTOS OS REPTEIS DE GRANDE PORTE E ANIMAIS DE GRANDE PORTE SIM A DIMINUIÇÃO DO OXIGENIO DEVE TER CONTRIBUIDO

      Excluir
    3. SE VC OLHA A PELE HUMANA DE PERTO PARECE UM REPTIL EVOLUIDO

      Excluir
    4. O ESPAÇO NÃO EXPLICA POIS ERA PROPORCIONAL A MAIOR QUANTIDADE DE RIVAIS A ATMOSFERA EXPLICA MELHOR VIA EFEITO METABOLICO OS GLACIARES TAMBEM DEVIAM SER MAIS COMUNS E MAIS EXTREMOS CLIMA CONTINENTAL FRENTES FRIAS MAIS MONTANHAS E GELEIRAS

      Excluir

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.