4 de fevereiro de 2010

Nictossauro, o voador com galhada

© Todd S. Marshall

(Atualizado em junho de 2015)

O nictossauro (do grego "lagarto noturno", fazendo alusão aos morcegos) é um pterossauro que viveu durante o período Cretáceo, entre 85 e 84,5 milhões de anos atrás, nos Estados Unidos. Alimentava-se principalmente de peixes, tinha 2 m de envergadura e cerca de 4,5 kg. Quando voava, chegava a 34,5 km/h.
Era similar, porém menor, que seu parente pteranodonte, com quem dividiu os céus. Tinha asas relativamente longas e estreitas, como as de aves marinhas modernas. O nictossauro exibia uma crista muito distintiva, de até 55 cm de altura em adultos mais velhos, composta por duas hastes ósseas em forma de "L", apoiadas em uma base atrás do crânio. Os indivíduos tiveram um crescimento muito rápido: em dois anos, um recém-nascido passava a adulto. E somente então a crista começava a se desenvolver. Acredita-se que ela funcionava principalmente para exposição, já que não há comprovação da existência de uma vela entre a estrutura óssea que servisse para estabilizar o voo.
Os primeiros fósseis de nictossauro foram descritos em 1876, por Othniel Charles Marsh, baseado em um material fragmentário descoberto no Kansas. De lá também vieram os outros fósseis do gênero, especificamente a Formação Niobrara. A espécie Nyctosaurus lamegoi, que viveu no Brasil, é amplamente considerada diferente de Nyctosaurus, porém ainda não foi atribuída a seu próprio gênero.

Classificação científica:
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Ordem: † Pterosauria
Subordem: † Pterodactyloidea
Família: † Nyctosauridae
Subfamília: † Nyctosaurinae
Gênero: † Nyctosaurus
Espécies:  Nyctosaurus gracilis,  N. nanus "N." lamegoi e (?)  N. bonneri


© Mundo Pré-Histórico
Durante muito tempo pensou-se que o nictossauro possuía apenas uma pequena crista, mas descobertas em 2003 mostraram que ela podia ser tão longa quanto seu corpo.
© Museu Americano de História Natural/C. Chesek
Sem garras nas asas, devia ser difícil para ele andar no solo ou escalar rochedos. Essa peculiaridade do nictossauro trouxe a sugestão de que passasse a maior parte de seu tempo no ar.
© Matt P. Martyniuk

Fontes: Wikipedia (versão em inglês), Prehistoric WildlifePalaeocritti e Matt P. Martyniuk Art & Science.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.