25 de março de 2009

Espinossauro, o primeiro dinossauro aquático

© Todd S. Marshall

(Atualizado em julho de 2015)

O espinossauro ("lagarto espinho") é um grande terópode que viveu no norte da África em meados do Cretáceo, entre 112 e 97 milhões de anos atrás. É o maior dinossauro carnívoro conhecido, superando o giganotossauro: os cálculos giram em torno de 15 m de comprimento e 7 toneladas.
Lembrando um crocodilo, seu crânio longo e estreito era adaptado para comer peixes, pouco resistente para predar grandes animais terrestres; os dentes cônicos e retos também não eram serrilhados. Possuía braços longos e fortes com grandes garras. Apesar de ser bípede, estudos sugerem que ele ocasionalmente andava sobre as quatro patas e que seu habitat abrangia tanto terra quanto água - este seria, portanto, o primeiro dinossauro semiaquático já descoberto.
No entanto, sua característica mais famosa são as extensões das vértebras dorsais, com quase dois metros, provavelmente conectadas por pele e formando uma estrutura em forma de vela. Várias funções já foram propostas para ela, sendo a mais plausível a de exibição, seja para intimidar outro predador ou para transmitir informações sobre idade e gênero a outros espinossauros.
Os primeiros achados foram encontrados no Egito, por Richard Markgraf, em 1912, e descritos pelo paleontólogo alemão Ernst Stromer em 1915. Embora os fósseis originais, que encontravam-se em Munique, na Alemanha, tenham sido destruídos na Segunda Guerra Mundial, as anotações e esboços meticulosos de Stromer resistiram para conservar o escasso conhecimento a respeito desse animal. Felizmente, novo material fóssil veio à tona nos últimos anos. Uma maior precisão nas estimativas de tamanho, contudo, ainda depende da descoberta de restos mais completos.

Classificação científica:
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Superordem: Dinosauria
Ordem: Saurischia
Subordem: Theropoda
Família: † Spinosauridae
Subfamília: † Spinosaurinae
Gênero: † Spinosaurus
Espécies: † Spinosaurus aegyptiacus e (?) † S. maroccanus

© Mundo Pré-Histórico
Reconstituição de Spinosaurus aegyptiacus em Chiba, no Japão
© Nobu Tamura
Os mais recentes estudos apontam para um dinossauro quadrúpede, com pernas muito mais curtas do que estamos acostumados a ver em representações do espinossauro. Narinas no alto da cabeça e pés achatados estão entre suas adaptações para a vida em meio a pântanos e rios.
© Davide Bonadonna

Fontes: Live ScienceWikipedia (versão em inglês) e Veja.com.

6 comentários:

  1. Anônimo17/5/15

    Gosteiiiiii

    ResponderExcluir
  2. Velho,eu realmente to impressionado com este blog!Sempre gostei de dinossauros e eu to montando um mini-guia deles,e pode apostar,esse blog vai ta nos créditos!
    Continuem fazendo este trabalho incrível

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, muito, muito obrigado! Vou continuar sim, e aos poucos vou melhorando o que pode ser melhorado.
      Ah, gostaria de ver seu trabalho quando estiver pronto!

      Excluir
    2. tá faltando um dinossauro indominus rex

      Excluir
    3. O Indominus rex é uma espécie fictícia, criada especialmente para o filme Jurassic World, mas não deixa de ser uma fera muito legal e assustadora!

      Excluir

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.