6 de maio de 2017

Éon Hadeano

O planeta Terra em sua origem.
© BBC

Na escala do tempo geológico, o Hadeano é o éon mais antigo, que começou há cerca de 4,6 bilhões de anos, com a formação do Sistema Solar e do planeta Terra, e terminou há cerca de 4 bilhões de anos, quando surgiram as primeiras rochas e iniciou-se o éon Arqueano. Seu nome deriva de Hades, a terra dos mortos na mitologia grega, uma referência às condições infernais do planeta durante suas primeiras centenas de milhões de anos.

Tabela do tempo geológico em escala, com destaque para o Hadeano.
© Mundo Pré-Histórico

A Terra foi formada ao mesmo tempo que os outros corpos do Sistema Solar, a partir de uma grande nuvem de gás e poeira ao redor do Sol. Pela força de atração gravitacional, esse material colapsou em certos pontos e começou a formar pequenos corpos densos, que sucessivamente foram colidindo e se aglutinando em corpos maiores. Assim surgiram planetas, luas e asteroides.
Recém-formada, a Terra era uma massa incandescente com rios de rochas derretidas, vulcões em erupção e grande quantidade de enxofre líquido. Quedas de asteroides e meteoros ocorriam frequentemente. Esses impactos, juntamente com a radioatividade de muitos elementos no interior do globo, liberavam uma enorme quantidade de calor, o que impedia que as rochas se solidificassem. Enquanto os átomos de ferro, mais densos, afundavam e constituíam o núcleo do planeta, o material menos denso, rico em silicatos, ascendia à superfície.

Representação artística do evento que deu origem à formação da Lua.
© Dana Berry / SwRI

Acredita-se que, cerca de 45 milhões de anos após o início da formação da Terra, um corpo do tamanho de Marte, chamado Theia, colidiu com o planeta, lançando grande quantidade de material para sua órbita. Ao longo de 10 ou 15 milhões de anos, esses detritos se agregaram e deram origem à Lua.
Os gases liberados pelos vulcões criaram uma atmosfera quente, densa e carregada de poeira e cinzas, composta principalmente de nitrogênio, amônia, hidrogênio, monóxido de carbono, metano e vapor de água. É provável que grande parte da água tenha sido trazida por cometas que caíam na Terra.

Paisagem terrestre durante o Hadeano.
© 2016 Tim Bertelink

Há 4,3 bilhões de anos, quase todo o material em torno do Sol já havia sido agregado a algum outro corpo, e o intenso bombardeio de meteoros abrandou. Conforme a Terra resfriava, sua superfície se estabilizava e a crosta terrestre solidificava-se. O vapor de água na atmosfera se condensava e chovia em direção à superfície, formando lagos, mares e, por fim, oceanos. O ciclo das chuvas teve um importante papel no resfriamento do planeta: ao evaporar, a água absorvia calor da crosta e, ao condensar-se novamente, dissipava esse calor para o espaço.
Somente a partir do surgimento das primeiras rochas sólidas que começa o registro geológico da Terra. O termo Hadeano foi cunhado por Preston Cloud em 1972, para descrever o período anterior à formação das rochas mais antigas do planeta. Como o Hadeano possui pouquíssimos vestígios preservados, esse éon não possui uma subdivisão oficial.
As únicas rochas hadeanas do planeta foram encontradas no oeste da Groenlândia, nordeste do Canadá e oeste da Austrália. O material mais antigo são minerais australianos com 4,4 bilhões de anos. No entanto, alguns meteoritos e rochas lunares datam de 4,5 bilhões de anos atrás. O advento de um registro rochoso do planeta marca o início do éon Arqueano.


4 comentários:

  1. Texto muito bom, sem erros de português, o que é difícil de acontecer na internet. Muito resumido e esclarecedor. Obrigado ao autor. Se o autor puder me indicar algum livro que trate desse assunto, ficaria grato.

    hudson.wagner@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado! Essa é exatamente minha intenção: trazer informações de maneira clara e objetiva.
      Quanto ao livro, com o tema específico da postagem, infelizmente não sei indicar nenhum. Sempre encontro fontes na internet. Porém, conheço a "Enciclopédia dos Dinossauros e da Vida Pré-Histórica", que tem uma linguagem bem didática e várias ilustrações. Super recomendo!

      Excluir
  2. Muito bom o texto, curto, objetivo, elucidador, com fontes confiáveis.
    Imagens com as devidas referências.
    Referencias atualizadas (já inclui o zircão de 4,4 bilhões de anos)
    Tá muito bom seu blog, parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado! Fico muito feliz com isso, porque deu bastante trabalho! Abraços.

      Excluir

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados, mas críticas e sugestões são bem-vindas.