5 de junho de 2011

Hesperórnis, um pássaro sem asas

Hesperórnis e seu filhote.
© 
Eleanor Kish

(Atualizado em agosto de 2017)

O hesperórnis ("ave ocidental") é uma ave aquática não voadora que viveu no final do período Cretáceo, de 83 a 75 milhões de anos atrás, nas praias ao sul da América do Norte e na Ásia. Era uma ave grande, que atingia 2 m de comprimento e 9 kg.
De pescoço longo e delgado, praticamente não tinha asas, e nadava com suas poderosas patas traseiras à procura de peixes e moluscos, enquanto os membros dianteiros controlavam a direção do nado. Do mesmo modo que o ictiórnis, possuía um bico com dentes, característica das aves mais primitivas.
O hesperórnis vivia em mares rasos e em águas doces, e, como os mergulhões de hoje, era um excelente mergulhador, mas desajeitado e vulnerável em terra. Presumivelmente saía à superfície para se reproduzir e pôr ovos. Entretanto, nenhum dos ambientes era seguro: na terra havia dinossauros, e na água a ameaça eram os tubarões e mosassauros. 
Esta é uma ave relativamente próxima das aves modernas, embora não seja seu ancestral. O primeiro fóssil de hesperórnis foi encontrado por Othniel C. Marsh em 1871, no Kansas, Estados Unidos. Depois disso, muitos outros esqueletos fragmentados foram descobertos em outros locais dos EUA, no Canadá e até na Rússia.

Classificação científica:
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Clado: Avialae
Clado: Ornithurae
Clado: † Hesperornithes
Família: † Hesperornithidae
Gênero: † Hesperornis
Espécies: † Hesperornis regalis, † H. crassipes, † H. gracilis, † H. altus, † H. montana, † H. rossicus, † H. bairdi, † H. chowi, † H. lumgairi, † H. macdonaldi e † H. mengeli


© Mundo Pré-Histórico
Fóssil de Hesperornis regalis no Museu de História Natural do Instituto Smithsoniano, em Washington, D.C., EUA.

© Dan Varner

Fontes: Wikipedia (versão em inglês), National Geographic e BBC - Science & Nature.

3 comentários:

  1. Anônimo2/9/16

    como pode ser sem asa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, o hesperórnis possuía asas atrofiadas, inúteis para voar, mas que o ajudavam a nadar e controlar a direção do mergulho.

      Excluir
    2. Anônimo28/4/17

      um

      Excluir

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.