15 de março de 2011

Arquelônio

© John Bindon

(Atualizado em novembro de 2016)

O arquelônio, cujo nome, em grego, significa "tartaruga soberana", é a maior tartaruga marinha já descoberta. Viveu entre 80,5 e 65 milhões de anos atrás, final do Cretáceo, na América do Norte. Chegava a mais de 4 metros de comprimento, 4,9 m de largura de nadadeira a nadadeira e 2,2 toneladas, perdendo em peso apenas para o Stupendemys. Alguns indivíduos alcançavam mais de cem anos de idade, graças a longos períodos de brumação (a "hibernação" dos répteis) no leito marinho.
Embora semelhante ao Protostega, outra grande tartaruga do Cretáceo, era muito maior. O parente mais próximo do arquelônio nos dias de hoje é a tartaruga-de-couro, e, assim como esta, não possuía uma carapaça sólida nas costas, mas uma estrutura esquelética suportando uma cobertura de couro relativamente fina. Essa era uma adaptação que tornava seu corpo mais leve e permitia que o arquelônio, com todo o seu tamanho, pudesse emergir na água mais facilmente. Como as tartarugas de hoje, botava seus ovos em terra, onde os filhotes recém-nascidos, antes de conseguirem chegar ao mar, corriam um sério risco de serem devorados por uma série de predadores, que incluía dinossauros, aves primitivas e pterossauros. Dentro da água, entretanto, os adultos também não estariam livres de grandes ameaças, como o Tylosaurus e o tubarão Cretoxyrhina.
Outros distintivos desse animal são o crânio estreito, a cauda pontiaguda e a carapaça alta. Com uma mordida forte, seu bico era adaptado para se alimentar de animais de corpo mole, como lulas e águas-vivas. Foi descoberto em 1895, por George R. Wieland. A maioria dos fósseis conhecidos vieram de Wyoming e Dakota do Sul, EUA.

Classificação científica:
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Ordem: Testudines
Subordem: Cryptodira
Família: † Protostegidae
Gênero: † Archelon
Espécie: † Archelon ischyros


© Mundo Pré-Histórico
Exposição do Museu da Vida Antiga de Utah, EUA.
Foto: Nick Froyd
© Nobu Tamura

Fontes: Wikipedia (versão em inglês), Prehistoric Wildlife e About.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.