18 de fevereiro de 2012

Elasmossauro


O elasmossauro (do grego, "lagarto de placas finas", referindo-se aos ossos de sua cintura pélvica) é um plesiossauro do fim do período Cretáceo, entre 80,5 e 65 milhões de anos atrás, no Mar Interior Ocidental - local que hoje é a América do Norte. Tinha cerca de 2 t e 14 m de comprimento, dos quais 8 m correspondiam apenas ao pescoço.
O pescoço extremamente longo era composto por 71 vértebras. Devido ao peso, à musculatura limitada e à relativa rigidez do pescoço, ele não poderia ser dobrado como mostram muitas ilustrações do elasmossauro. Na verdade, funcionava como um leme, controlando a direção em que o animal se movia. Nadador lento, o elasmossauro atacava cardumes de peixes em mar aberto, espreitando suas presas por baixo e camuflando-se nas águas escuras; alimentava-se também de amonites, belemnites e até de outros répteis marinhos. Seu crânio achatado portava numerosos dentes pontudos, e, ainda assim, ingeria pedras para ajudar na digestão (leia mais sobre os gastrólitos).
Provavelmente dava seus filhotes à luz diretamente na água, como outros plesiossauros do Cretáceo. Suas nadadeiras eram tão rígidas e adaptadas a nadar que eles não poderiam sair em terra para depositar ovos.
O elasmossauro foi descoberto no Kansas, EUA, e descrito em 1868, pelo paleontólogo americano Edward Drinker Cope. Este, que era especialista em lagartos (répteis de pescoço curto e cauda comprida), ao reconstruir o esqueleto, colocou o crânio equivocadamente no que era a ponta da cauda. O erro foi corrigido dois anos depois, por Joseph Leidy.

Classificação científica:
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Superordem: † Sauropterygia
Ordem: † Plesiosauria
Família: † Elasmosauridae
Gênero: † Elasmosaurus
Espécie: † Elasmosaurus platyurus


© Mundo Pré-Histórico


Fontes: Wikipedia (versão em inglês), Prehistoric Wildlife e Felipex.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.