3 de abril de 2011

Meganeura, a grande libélula

(Atualizado em agosto de 2016)
© 2005 BBC

Meganeura ("grande nervura", uma referência à rede de veios em suas asas) é um gênero extinto de inseto que viveu de 305 a 299 milhões de anos atrás, final do período Carbonífero, na Europa. Parente das atuais libélulas e muito semelhante a elas, era carnívora e alcançava 75 cm de envergadura. Meganeura monyi está entre as maiores espécies de insetos voadores já descobertas.
Assim como as libélulas modernas, vivia próximo a corpos de água e predava outros insetos, os quais agarrava com seus apêndices. Porém, devia ser menos ágil e podia atacar criaturas maiores, incluindo pequenos anfíbios e répteis.
Acredita-se que ela podia chegar a proporções tão gigantescas por causa da quantidade de oxigênio na atmosfera durante aquele período, muito maior do que hoje. Outra hipótese propõe que esses insetos, na falta de outros predadores aéreos que pudessem ameaçá-los, teriam ficado maiores por pressão evolutiva frente a suas presas (de forma a facilitar a caça).
Fósseis de meganeura foram descobertos em 1880, na França, e nomeados por Charles Brongniart, em 1885. Outro espécime bem preservado foi achado em 1979, na Inglaterra.

Classificação científica:
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Superordem: Odonatoptera
Ordem: † Meganisoptera
Família: † Meganeuridae
Gênero: † Meganeura
Espécies: † Meganeura monyi, † M. brongniarti e † M. vischerae


© Mundo Pré-Histórico
© 2010 Eldar Zakirov
Meganeura monyi no Museu de História Natural de Toulouse, França.

Fontes: Wikipedia (versão em inglês), Prehistoric WildlifeBuzzle e Enciclopédia dos dinossauros e da vida pré-histórica.

2 comentários:

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.