18 de dezembro de 2011

Ambulocetus, a baleia que andava

(Atualizado em maio de 2014)
© 2009 Eldar Zakirov

O Ambulocetus (do grego, "baleia ambulante") é um cetáceo primitivo que viveu no início do Eoceno, de 54 a 33 milhões de anos atrás, onde hoje é o Paquistão. Pesava cerca de 350 kg e media 3 m de comprimento. Se alimentava de peixes e talvez animais terrestres com até o dobro do seu tamanho que se aproximavam da água.
Ancestral das baleias, o Ambulocetus é um fóssil de transição que mostra como elas evoluíram a partir de mamíferos terrestres. As patas traseiras, em particular, pareciam ser usadas para propulsão, os dedos eram unidos por membranas, adaptações do nariz lhe permitiam engolir o alimento debaixo d'água e os ouvidos internos captavam vibrações subaquáticas. Provavelmente nadava ondulando as costas na vertical, como todos os mamíferos aquáticos (lontras, baleias, golfinhos, etc.) o fazem. Caçava do mesmo modo que os crocodilos, à espreita nas águas rasas para arrebatar a presa incauta. Seus maxilares eram enormes, ágeis e cheios de dentes semelhantes aos das baleias. O Ambulocetus viveu tanto em águas doces como salgadas, mas também podia caminhar em terra firme.
Um espécime bastante completo e vários esqueletos parciais foram recuperados no Paquistão em 1993, por Johannes Thewissen e Sayed Hussain, e descritos em 1994. No Eoceno, o Paquistão era uma região costeira do subcontinente indiano, que encontrava-se separado da Ásia.

Classificação científica:
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Cetacea
Subordem: † Archaeoceti
Família: † Ambulocetidae
Subfamília: † Ambulocetinae
Gênero: † Ambulocetus
Espécie: † Ambulocetus natans


© Mundo Pré-Histórico
(Autor desconhecido)
Ambulocetus dá o bote em um pequeno mamífero à beira da água (talvez um Propalaeotherium)
© Carl Buell

Fontes: Wikipedia (versão em inglês), BBC Nature, Recreio On-line e About.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.