4 de setembro de 2011

Anomalocaris, o primeiro grande predador da Terra

(Atualizado em maio de 2014)
Anomalocaris trilobitas
Arte por Mark A. Garlick © Kingfisher

O Anomalocaris (do grego, "camarão anômalo") é um invertebrado marinho extinto, que viveu nos mares de diferentes lugares do planeta durante o Cambriano, de 513 a 501 milhões de anos atrás. Para sua época era uma criatura gigantesca, que variava de 45 cm a 1,8 m de comprimento. É um dos animais mais amplamente distribuídos do Folhelho Burgess, formação rochosa rica em fósseis desse período.
Possuía uma cabeça grande, um par de olhos compostos por 30.000 lentes individuais (o que indica uma visão muito avançada) e uma boca circular formada por um anel de placas, que poderia se contrair para esmagar as presas - animais de corpo mole e, possivelmente, trilobitas. Um par de apêndices à frente da boca provavelmente levava a comida até ela, e seus dentes serrilhados continuavam até as paredes do esôfago. Localizado no topo da cadeia alimentar do Cambriano, o Anomalocaris locomovia-se com movimentos ondulantes de seus lóbulos flexíveis nas laterais do corpo e com o impulso da grande cauda em forma de leque.
Fósseis de Anomalocaris são conhecidos desde 1892 e foram descobertos no Canadá, na China, nos EUA, na Groenlândia e na Austrália. Como os totalmente intactos são muito raros e esses fragmentos se assemelham a outros tipos de animais simples, por um longo tempo as peças separadas foram interpretadas como animais individuais: os apêndices foram imaginados como uma espécie de camarão, a boca, identificada como uma água-viva, e o corpo, confundido com uma esponja. Somente com a descoberta de espécimes completos constatou-se que os três animais eram apenas um, e manteve-se o nome original do tal "camarão anômalo".

Classificação científica:
Reino: Animalia
Classe: † Dinocaridida
Ordem: † Radiodonta
Família: † Anomalocaridae
Gênero: † Anomalocaris
Espécies: † Anomalocaris canadensis, † A. briggsi, † A. saron e (?) † A. pennsylvanica



© Mundo Pré-Histórico
Apêndice de Anomalocaris briggsi, endêmico dos xistos de Emu Bay, na Austrália. Não é à toa que esses fósseis, quando encontrados isolados, foram confundidos com camarões...
O primeiro fóssil completo de Anomalocaris, descoberto no Folhelho Burgess, Canadá.
Foto: Museu Real de Ontário, Toronto

Fontes: Smithsonian National Museum of Natural HistoryWikipedia (versão em inglês) e Museu Nacional de História Natural e da Ciência - Universidade de Lisboa.

4 comentários:

  1. Muito legal a postagem. Adoro invertebrados marinhos pré-históricos. Foi inclusive eu quem criei o artigo Anomalocaris na Wikipédia em português, mas atualmente eles me baniram de lá :(

    Gostaria de saber como você conseguiu mudar de nome do blog, pois eu estava pensando em fazer o mesmo, mas não consigo...

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Cristhian. Para mudar o nome ou o endereço do blog, entre no seu painel e clique em Configurações. Na guia Básico está a opção de mudar o título do blog, e na guia Publicação, a de mudar o endereço.

    ResponderExcluir
  3. parabéns por um blog tão ilustrativo além da criatividade !

    ResponderExcluir

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.