2 de maio de 2011

Acantostega - mais um passo em direção a terra

(Atualizado em janeiro de 2014)
© 2006 Raúl Martín

O acantostega ("telhado espinhoso", do grego) é um anfíbio primitivo que viveu nas lagoas da Groenlândia no período Devoniano, de 380 a 365 milhões de anos atrás. Alcançava 60 cm de comprimento, 2 a 4 kg e comia peixes, insetos e outros tetrápodes.
Ainda mantinha características dos peixes, como a nadadeira caudal, a coluna e brânquias, mas tinha mãos e pés com oito dígitos distintos. Mesmo sendo um dos primeiros tetrápodes (vertebrados com quatro membros), o acantostega era mal adaptado para vir a terra. Seus membros não conseguiriam arrastá-lo e, embora tivesse pulmões, suas costelas não teriam suportado o peso da caixa torácica. Portanto, o acantostega era um predador de águas rasas, que caçava também insetos próximo à superfície.
As patas, então, teriam evoluído para ajudá-lo a se locomover entre as plantas aquáticas. Isso sugere que os tetrápodes desenvolveram membros com outras finalidades, e que mais tarde se mostraram úteis para a vida terrestre. Um parente do acantostega que conviveu com ele, o ictiostega, tinha maior capacidade de se mover fora d'água.
Os restos fósseis de acantostega são geralmente bem preservados, embora os primeiros registros da espécie, descobertos em 1933 por Gunnar Säve-Söderbergh e Erik Jarvik, sejam apenas fragmentos do crânio.

Classificação científica:
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Superclasse: Tetrapoda
Classe: Amphibia
Subclasse: † Labyrinthodontia
Gênero: † Acanthostega
Espécie: † Acanthostega gunnari


© Mundo Pré-Histórico
© Nobu Tamura
Foto: Museu Americano de História Natural, Nova York, 2009
Crânio, em vista lateral, no Museu Geológico de Copenhague, Dinamarca
© 1997 M. Coates/Museu de Zoologia da Universidade de Cambridge

Fontes: Wikipedia (versão em inglês), AVPH e Devonian Times.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.