12 de março de 2011

Picnonemossauro, o grande predador brasileiro

Picnonemossauros brigam por carcaça
© Maurilio Oliveira

(Atualizado em março de 2015)

O picnonemossauro (que do grego e do latim significa "lagarto da mata densa", fazendo alusão ao estado de Mato Grosso) viveu no centro-oeste do Brasil há 70 milhões de anos, no fim do Cretáceo. A dimensão de suas vértebras sugere que chegava a mais de 9 m de comprimento, 3 m de altura e 2 toneladas.
Até agora, os fósseis encontrados são fragmentários, porém mesmo com tão pouco é possível classificá-lo como um terópode abelissaurídeo (parente do carnotauro argentino) e dizer que é o segundo maior carnívoro brasileiro já encontrado, atrás apenas do Oxalaia. O picnonemossauro possivelmente predava dinossauros maiores que ele, como o saurópode maxakalissauro, que viveu na mesma região.
A espécie Pycnonemosaurus nevesi foi formalmente descrita e nomeada em 2002, por Alexander Kellner e Diogenes Campos, o epíteto específico homenageando o advogado Iedo Batista Neves, quem incentivou o trabalho de pesquisa. Os fósseis haviam sido coletados ainda entre 1952 e 1953, numa fazenda mato-grossense do município de Chapada dos Guimarães.

Classificação científica:
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Superordem: Dinosauria
Ordem: Saurischia
Subordem: Theropoda
Clado: † Abelisauria
Família: † Abelisauridae
Gênero: † Pycnonemosaurus
Espécie: † Pycnonemosaurus nevesi


© Mundo Pré-Histórico
Na cor branca, os ossos conhecidos - o restante foi baseado em dinossauros aparentados.
© 2011 Felipe Alves Elias
Réplica do esqueleto montada para exposição
Foto: Secom/MT

Fontes: Portal LATEC/UFRJWikipedia (versão em inglês), Folha Online e Ciência e Diversão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.