7 de fevereiro de 2010

Alxassauro

O Alxasaurus elesitaiensis ("lagarto do deserto de Alxa") é um terizinossaurídeo que foi encontrado no interior da Mongólia. Viveu na Mongólia, na China e na Rússia, no início do período Cretáceo. Supostamente, sua alimentação era onívora, ou seja, comia tanto carne como plantas, e possuía um intestino grosso próprio para processar material vegetal.
Foi nomeado e descrito pela primeira vez em 1993 pelo paleontólogo Dale Russell e seu colega Dong Zhiming num artigo do jornal canadense Canadian Journal of Earth Sciences. O maior dos vários espécimes descobertos media 3.8 m de comprimento. Cinco fósseis foram recuperados na Formação Gobi Bayin. O holótipo (exemplo único usado quando a espécie foi descrita) é uma mandíbula inferior com alguns dentes, ossos dos membros, costelas e vértebras, o fóssil mais bem preservado entre os cinco.
Partes de seu esqueleto (principalmente o pescoço comprido, a cauda curta, os dentes as mãos e as garras longas) assemelham-se moderadamente ao de um prossaurópode, tal como o Plateosaurus, mas ele era um terópode e há a possibilidades de ter possuído penas. Além disso, possuía o osso carpal do pulso, comum entre terópodes manirraptores.


Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Superordem: Dinosauria
Ordem: Saurischia
Subordem: Theropoda
Superfamília: Therizinosauroidea
Família: Alxasauridae
Gênero: Alxasaurus

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.