16 de julho de 2009

Ornitísquios (Ornithischia)

Os dinossauros com "cintura pélvica de ave," chamados ornitísquios, incluem os estegossaurídeos com armadura, os ceratopsídeos com chifres e os hadrossaurídeos com cristas. Todos os ornitísquios compartilham características nas maxilas e nos dentes que lhes permitiram cortar e mastigar as plantas eficientemente.
Ornitísquios avançados, tais como os dinossauros com chifres, tornaram-se altamente modificados para mastigarem plantas. Eles desenvolveram centenas de dentes que se auto-amolavam e articulações especiais no crânio que os ajudavam a amolar todos os seus dentes ao mesmo tempo.
Todos os ornitísquios, provavelmente, evoluíram de um ancestral bípede similar ao Lesothosaurus, um dos ornitísquios mais primitivos. Apesar de descenderem de ancestrais similares, os diferentes grupos de ornitísquios desenvolveram modos de vida distintos. Os tireóforos (estegossaurídeos e anquilossaurídeos) andavam sobre as quatro patas, enquanto os ornitópodes diversificaram-se como corredores pequenos e bípedes (andavam sobre duas patas). Grandes ornitópodes parcialmente quadrúpedes com bicos amplos desenvolveram-se tardiamente no Jurássico. Os marginocéfalos datam do Jurássico Médio. Os paquicefalossaurídeos e os ceratopsídeos primitivos permaneceram bípedes, enquanto os ceratopsídeos avançados do Cretáceo andavam sobre as quatro patas.
Classificação
(Clique na imagem para ampliá-la)
Todos os ornitísquios possuem o osso pré-dentário, único, em forma de "U" e presente no crânio que é recoberto, em vida, por um bico córneo. Sulcos nas margens posteriores do osso pré-dentário permitiram que os dois ossos dentários na maxila inferior girassem ligeiramente. Isso levou os ornitísquios a girarem suas fileiras de dentes e, desse modo, mastigarem sua comida. Os ornitísquios podem ser primitivos ou mais avançados, os genassauros.
Os membros do Genasauria têm em comum a presença de dentes na lateral da face e laterais côncavas no crânio. Os genassauros incluem tireófaros e cerápodes.
Cerápodes tinham uma camada de esmalte mais espessa no lado interno de seus dentes inferiores. Os dentes desgastavam-se desigualmente com a mastigação e desenvolviam margens afiadas que permitiam aos cerápodes esfacelarem plantas mais espessas do que outros dinossauros. Os cerápodes incluem ornitópodes e marginocéfalos.
Uma saliência óssea que se projetava detrás do crânio é a característica mais importante que une os marginocéfalos. Ela só se tornava desenvolvida na fase adulta e pode ter evoluído para ser usada em exibições para conquistar parceiros para a reprodução em ceratopsídeos. Os marginocéfalos incluem os paquicefalossaurídeos e ceratopsídeos.
Os ceratopsídeos - os marginocéfalos com chifres - são marcados pela presença do osso rostral, que crescia na extremidade da maxila superior e formava um bico poderoso. Essa estrutura sem dentes formava uma área ampliada para cortes no bico. Os primeiros ceratopsídeos tinham, aproximadamente, 1 m de comprimento, mas as formas do final do Cretáceo eram tão grandes quanto os maiores elefantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários passam por aprovação do autor.
Comentários inapropriados ou ofensivos não serão publicados.
Críticas e sugestões são bem-vindas.